foto:

Laíse

Querida Laíse,

Sei que eu deveria preservar seu nome nessa carta. Mas você sabe que eu adoro te contrariar.
Sou tipo criança boba, que puxa o cabelo e sai correndo. Essa é minha forma de dizer que te adoro e que me importo.
Me importei com você desde a primeira conversa. Senti que você precisava de cuidados. Nada muito complicado. Apenas um abraço ao acordar, um no almoço e outro antes de dormir. Talvez seja por isso que voltei de viagem tão depressa. No fundo eu sabia que deveria aproveitar cada momento enquanto havia tempo. E por mais que hoje eu me recuse a acreditar, esse tempo acabou. Foi mais rápido do que pensei. E me ensinou que nada é verdadeiro até você largar completamente.

Nossas vidas se cruzaram de repente. Num momento eu estava em casa me distraindo com alguma coisa inútil, e no outro, estava no seu sofá te roubando um selinho. E que fique bem claro que foi apenas um selinho da amizade.

No começo tentei não me envolver. Fiz cara de mal. Do tipo que não tem sentimentos, que não se importa com nada. Mas a verdade é que por muito tempo acreditei estar fingindo gostar você. Sendo gentil, carinhoso, fazendo você sorrir. Quando de fato, eu estava completamente apaixonado. Mergulhado em uma situação onde jamais quis estar. E agora, desejo voltar a qualquer custo.

Não voltarei dessa vez. Preciso partir, dar um tempo de tudo, colocar a cabeça no lugar. Se é que isso é possível.
Vou sair de fininho, como sempre. Esse é meu estilo. Fingir que nada aconteceu. Seguir em frente.
Mas saiba que sentirei saudades. Principalmente das músicas, das risadas e do seu jeito doce de querer me salvar de mim mesmo.

Talvez eu seja o cara mais doido que você já conheceu. Você mesma já me disse isso algumas vezes. Sendo assim, obrigado por me aceitar e gostar de mim mesmo sendo completamente maluco. Isso me ensinou muitas coisas. Como valorizar as pessoas e confiar em quem só quer seu bem.

Mande lembranças minhas ao tempo. Diga que temos contas a acertar. Ele vai entender.
E se um dia, por algum motivo, você ficar triste. Lembre-se sempre, nada, simplesmente nada acaba para sempre…

Nos vemos por ai.

Com todo carinho e amor desse mundo,
Guilherme Vinicius