foto:

Mari

Quinta-feira, 28 de Julho de 2011

Querida Mari,

Revolvi escrever pois é a melhor forma de dizer tudo o que tentei hoje e não consegui. Odeio despedidas e você bem sabe.
Ver você ali rindo e se divertindo, mesmo sabendo que seria a última vez, é algo que não consigo entender. Tentei ficar feliz por você mas não consegui, pelo menos por enquanto. Sei que logo irei me acostumar com a ideia e tudo vai dar certo.

Você foi uma boa amiga, eu nem preciso dizer. Mesmo me chamando de chatinho e carente o tempo todo, eu sei que você me ama, não é?
Estou feliz, e ao mesmo tempo preocupado. Mas jamais te direi para não ir. Você precisar seguir o que seu coração manda. Ele dificilmente está errado. E mesmo que estiver. É bem melhor se arrepender de fazer, do que viver a vida toda imaginando como teria sido.
É eu sei, uso bastante essa frase, mas é porque é a mais pura verdade.

Londres é uma cidade maravilhosa, não que eu já tenha ido, mas não precisa de muito para se encantar, basta olhar uma foto.
Lá você conhecerá um mundo totalmente diferente. Passará por muitas alegrias e também por muitos momentos de tristeza. Quando esses dias chegarem, lembre-se do Brasil, e das pessoas que te amam tanto. Isso te dará forças para levantar e enfrentar mais um dia longe de casa.

Se cuida Mari. Te vejo daqui um tempo. Estarei no aeroporto te esperando de braços abertos.
Sei que você não merece, mas…

…Te amo sua doida!

Boa viagem!

De seu amigo carente e chatinhu,
Guilherme Vinicius