foto:

Quebra-cabeça

Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens.” Fernando Pessoa

Agora entendi tudo. Depois de tanto tempo, tantos anos, tantas noites em claro buscando a verdade. De repente, tudo se completa. Todas as peças do quebra-cabeça simplesmente se encaixam. E a verdade é: Não se deve buscar a verdade. Não se deve correr atras do incompreendível. Devemos viver. Devemos simplesmente fechar os olhos e sentir o vento tocar nosso rosto. Ouvir o som do silêncio confortando o coração.

Refletir, refletir, refletir. O que ganhamos refletindo e criticando todas as coisas erradas? Simplesmente paramos no tempo tentando consertar o mundo e nos perdemos em uma busca sem fim.
Viver é achar nosso objetivo perdido. É descobrir sem querer a resposta para todas as dúvidas. É voar sem ter asas pois a gravidade é só uma questão de ponto de vista.

Entender, entender, entender. Para que entender se para cada segundo, cada pessoa, cada dia, cada hora, o entendimento é diferente. Essa é a matemática da compreensão. Nada é igual em nenhum momento.

“O que fazer?”, “O que fazer?”, “O que fazer?”. Devemos fazer nossa parte. Viver nossa vida. Seguir nossos caminhos. Focar aonde queremos chegar, e não nos preocupar se as pegadas estão na posição correta.

Feche os olhos e voe o mais alto que puder. Os pensamentos são pesados e podem te fazer cair.
E se voar como nos sonhos, a vida te dará mais paisagens do que pode imaginar. E você não terá medo de abrir os olhos, pois ao contrário dos sonhos, será quente, real e você poderá tocar.

Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento. “ Clarice Lispector