foto:

Cortinas

Dedicatória: Para amantes e sonhadores, e para quem nunca sentiu de verdade nem uma coisa nem outra.”J. A. Redmerski

Querido diário,
conheci uma garota e ela é incrível! Inteligente, engraçada, tem um sorriso lindo e o abraço mais gostoso do mundo. Daqueles que você respira fundo e se sente seguro. Ela é complicada, assim como eu. Do tipo de não deixar passar nenhum detalhe. Como o jeito que cozinho o macarrão, ou a forma com que pronuncio as palavras.

Outro dia acordei e ela estava ali, paradinha me olhando. Antes que eu pudesse dizer algo, ela sorriu. Foi como abrir as cortinas de manhãzinha e deixar o sol entrar. Achei linda! Não pude evitar, sorri de volta e a beijei carinhosamente.
Seria essa a definição de felicidade? Ou só um cara querendo do fundo do coração acreditar em alguma coisa? Não importa. Ela se foi e não creio que irá voltar.


-Por que não me ligou quando fui embora? Você me esqueceu completamente.
-Não passou um dia sem que eu não lembra-se de você.
-Então por que simplesmente desapareceu? Por que fez o que era mais fácil?
-Mais fácil? Acha mesmo que está sendo fácil? Fácil foi lembrar de você dia após dia. Fácil foi querer te abraçar só mais uma vez. Fácil foi desejar começar de novo. Mas infelizmente não se trata de lembrar, querer ou desejar. Não se trata de fazer o que é mais fácil. Se trata de esquecer e seguir em frente. E talvez você não se lembre, mas era eu lá sentado, olhando pra você mais linda do que nunca, enquanto me dizia que não poderia mais continuar com aquilo. Eu esperei você terminar aquele belo discurso, te abracei e fui embora. Talvez eu devesse dizer algo. Quem sabe te convencer a ficar. Mas foi sua escolha, e não pode me culpar por respeitar a sua decisão.
-Eu esperava que fizesse algo.
-Eu sei, por isso não fiz. Isso não é um jogo. Não é uma brincadeira. Já estamos grandes demais pra ficar brincando uns com os outros.
-Me desculpa!
-…

Eu fui embora e ela também. Seguimos nossas vidas e, ao contrário das histórias que vemos por ai, não nos encontramos no futuro. Não direi que não nos lamentamos, pode ter acontecido algumas vezes. Mas tudo passa e a vida é curta de mais pra ficarmos presos no “como poderia ter sido”. Não foi, não dessa vez. Mas tudo bem, coisas boas virão! Outras pessoas, outros caminhos, outros sorrisos e outros momentos.

Uma hora você está sozinho e em outra, você conhece alguém que te faz esquecer de tudo. E todas aquelas teorias sobre a vida se tornam apenas recordações de uma época estranha. Por que nada mais e tão importante agora, como olhar pra ela e ganhar um sorriso. Lindo e sincero, como jamais vi antes. E é nesse momento em que tudo se torna possível e você volta a acreditar.

Em resumo,
sinto falta dela.

Eu achava que boa memória era uma dádiva, até descobrir que a vida é basicamente sobre esquecer.” Autor Desconhecido

foto:

O andarilho

A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada” Albert Einstein de Max Wulfant (1879-1955)

Vivo em busca de algo que perdi.
Algo que não sei bem, mas está aqui.
A tempos já não sei quem sou.
E já não há mais tempo de pensar no que mudou.

Aos poucos meu coração diminui os batimentos.
Nem se ouve mais o som.
Meu castelo está se desmoronando
e me recuso a aprender alguma lição.

Já faz um tempo que caminho sozinho.
Como um passarinho que voa para longe do ninho.
Ainda assim, é difícil  definir o que ainda vale a pena
e o que ainda não se perdeu nessa grande peça.

Hoje recebi uma carta do tempo.
Do tempo em que ainda era jovem.
Ela me perguntava: “A onde conseguiu chegar?”.
Se eu soubesse a resposta, não precisaria mais andar.

Se me achas um pouco estranho
Não lhe direi que seu pensamento é um engano.
Mas se ainda resta alguma dúvida no ar,
Preciso então me revelar.

Sou você quando está sonhando, pensando ou dormindo.
Até mesmo quando está fingindo.
Do anoitecer ao seu levantar.
Sou a coisa mais bela que você esqueceu de amar.

foto:

Quebra-cabeça

Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens.” Fernando Pessoa

Agora entendi tudo. Depois de tanto tempo, tantos anos, tantas noites em claro buscando a verdade. De repente, tudo se completa. Todas as peças do quebra-cabeça simplesmente se encaixam. E a verdade é: Não se deve buscar a verdade. Não se deve correr atras do incompreendível. Devemos viver. Devemos simplesmente fechar os olhos e sentir o vento tocar nosso rosto. Ouvir o som do silêncio confortando o coração.

Refletir, refletir, refletir. O que ganhamos refletindo e criticando todas as coisas erradas? Simplesmente paramos no tempo tentando consertar o mundo e nos perdemos em uma busca sem fim.
Viver é achar nosso objetivo perdido. É descobrir sem querer a resposta para todas as dúvidas. É voar sem ter asas pois a gravidade é só uma questão de ponto de vista.

Entender, entender, entender. Para que entender se para cada segundo, cada pessoa, cada dia, cada hora, o entendimento é diferente. Essa é a matemática da compreensão. Nada é igual em nenhum momento.

“O que fazer?”, “O que fazer?”, “O que fazer?”. Devemos fazer nossa parte. Viver nossa vida. Seguir nossos caminhos. Focar aonde queremos chegar, e não nos preocupar se as pegadas estão na posição correta.

Feche os olhos e voe o mais alto que puder. Os pensamentos são pesados e podem te fazer cair.
E se voar como nos sonhos, a vida te dará mais paisagens do que pode imaginar. E você não terá medo de abrir os olhos, pois ao contrário dos sonhos, será quente, real e você poderá tocar.

Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento. “ Clarice Lispector