foto:

Oceano

Nessa cidade fria, qualquer demonstração de afeto conforta. Qualquer sinal de retorno é mera ousadia.

Não direi que te amo pois isso não soaria bem. Mesmo se fosse verdade. Todas as vezes que veio a mim, sincera e frágil, a procura de um ponto de apoio em meio ao caos, pequenas mudanças aconteceram em mim. E só fui atencioso porque no fundo eu precisava de apoio e, você tem essa essência maluca que consegue cativar as pessoas.

Estou bobo por dentro! A ponto de aceitar esse seu encanto. Preciso ter cuidado! Não posso deixar de ser um porto seguro. Entre fazer o que desejo e cumprir o meu papel, temo ter que escolher guia-la na tormenta. Seria egoismo da minha parte deixa-la atravessar o oceano sozinha. E eu não conseguiria vê-la partir assim. Tomando distancia entre uma onda e outra. Entre um pensamento e um soluçar. Sou melhor com você, pelo menos gosto de pensar que sou.

Estou a duas milhas de te amar de verdade. Uma distância relativamente pequena, comparada ao tamanho dessa bagunça que você criou. O seu mundo é diferente, tenho que admitir. Mas que garota não é assim?
Eu queria poder te fazer olhar mais adiante, te dar todas as respostas. Só que isso não resolveria nada. Assim como as minhas filosofias baratas que só aliviam a ocasião.
É tudo tão frustrante! As vezes quase não consigo suportar quando você me olha, se encolhe quietinha e começa a chorar. Garota, como eu odeio esse mundo! Como eu queria te levar pra longe, te mostrar que existe um mundo a conhecer lá fora!

Vou te abraçar enquanto posso. Garanto que estará segura comigo. Mas pode ser que um dia desses eu me afogue por ai, perdido em pensamento. Esquecendo de como foi boa comigo, e como fui bom pra você. Se isso acontecer, por favor me sacuda com força. Não me deixe pegar no sono. Tenho medo de acordar bem longe daqui.

foto:

Inesperado

O único dom que me salva é a distração. Ela preserva minha sanidade.” Markus Suzak

Tudo está tão confuso. Tudo tão complexo. Acabo preferindo flutuar sobre qualquer lugar.
Estou levando um susto por dia. E é sempre quando acredito estar a salvo.
Minha certeza me engana. E isso costumava acontecer um pouco menos.

Minha rotina é quase aleatória, mas gosto de pensar que se tornou um hábito.
De fato, fazemos nosso padrão. Pelo menos gostamos de pensar que sim.
Em todo caso, é sempre bom se apegar em alguma coisa, até mesmo o inesperado.

Vi inocentes sangrando, corações partidos e escravos sorrindo.
Não que seja errado, mas quem é que disse que tem que ser assim?
É bem melhor apenas ver o que se vê, do que tentar imaginar o que não se enxerga.

A vida é isso mesmo. Parte como queremos, parte como pensamos, e a ausência do que deveria ser.
Metade palavras sem sentido. Metade pessoas sem instinto. E um pedacinho de emoções sem abrigo.
Quase uma rima barata de filosofia inconclusiva; reflexo do que aprendemos todos os dias.

Vamos respirar fundo. Renovar nossa essência.
Ouça a vós chamando seu nome e toque os pés no chão,
o melhor caminho é o que vem de dentro do nosso coração.

Have a nice day!

foto:

Controvérsias

Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la. Clarice Lispector

Foram poucas as vezes que não consegui dizer nada. Na maioria das vezes, mesmo em silêncio, as palavras estavam ali, só esperando.
Eu nunca soube lidar com os sentimentos. Nem com o amor, nem com o ódio. O meu melhor sempre foi o extremo. Como o fogo queimando intensamente ou como uma manha fria de inverno. Em mim nunca houve equilíbrio. Nunca houve sorrisos sem dor, ou dores sem sorrisos.
Dessa vez eu simplesmente apaguei. Pude ouvir meu coração bater e meu peito encher de ar. Minhas mãos tremeram e senti frio. Naquele instante o tempo parou e um filme longo e detalhado passou sobre meus olhos, como uma seção de cinema antigo, onde as imagens são distorcidas mas você consegue entender a história.

Aquela manha ensolarada de verão acabará se tornando o dia mais sombrio do ano. Quase pude ver cinzas caindo do céu como se fosse neve, só que escura e quente, tocando minha pele e me fazendo sentir medo.
Observei atentamente seu rosto pois seria a ultima vez que veria. Memorizei cada detalhe, dos cabelos macios ao vento, até seus olhos brilhando querendo dizer algo. Ninguém disse nada. Nem precisava. As palavras estragam as coisas, mesmo os piores momentos.

Sempre odiei despedidas. E mesmo tentando evitá-las, parece que me seguem, gostam de mim e me perseguem.
Depois de algumas você acaba que acostumando. É como se acostumar a tomar um suco tropical diferente, só que o gosto nunca fica bom. Acho que não fomos feitos pra isso, por isso é tão difícil.
O final geralmente é o mesmo, só as reações que mudam um pouco. Alguns produzem lágrimas, outros sorrisos. Alguns ficam em silêncio. Os mais complexos produzem lágrimas e sorridos. Chega até ser bonito de ver. Mas é triste.

Nessa horas é difícil ver o lado bom das coisas. Mas sempre existe. É só olhar com carinho e qualquer céu cinzento se torna brando como o oceano. Temos que dar um passo de cada vez. Não adianta correr pra bem longe e se esconder. É preciso sorrir para nossos demônios. Assim eles ficarão sem graça, parados e sem saber o que fazer. É ai que você saberá que ganhou.

Controvérsias. Como pode alguém rir e chorar, sorrir ao sentir dor, amar e odiar? Somos humanos. Somos intensos. Todas essas dores e alegrias é o que prova a cada dia que temos um coração e que ele bate forte.
A vida é complexa e fascinante. Ela nos proporciona pesares mas também nos trás alegrias. Hoje você se despede de alguém, mas amanha certamente conhecerá alguém que lhe fará dar boas risadas e você terá vontade de tomar sorvete de morango com bastante calda de chocolate.

Have a nice day!

foto:

O andarilho

A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada” Albert Einstein de Max Wulfant (1879-1955)

Vivo em busca de algo que perdi.
Algo que não sei bem, mas está aqui.
A tempos já não sei quem sou.
E já não há mais tempo de pensar no que mudou.

Aos poucos meu coração diminui os batimentos.
Nem se ouve mais o som.
Meu castelo está se desmoronando
e me recuso a aprender alguma lição.

Já faz um tempo que caminho sozinho.
Como um passarinho que voa para longe do ninho.
Ainda assim, é difícil  definir o que ainda vale a pena
e o que ainda não se perdeu nessa grande peça.

Hoje recebi uma carta do tempo.
Do tempo em que ainda era jovem.
Ela me perguntava: “A onde conseguiu chegar?”.
Se eu soubesse a resposta, não precisaria mais andar.

Se me achas um pouco estranho
Não lhe direi que seu pensamento é um engano.
Mas se ainda resta alguma dúvida no ar,
Preciso então me revelar.

Sou você quando está sonhando, pensando ou dormindo.
Até mesmo quando está fingindo.
Do anoitecer ao seu levantar.
Sou a coisa mais bela que você esqueceu de amar.

foto:

Quebra-cabeça

Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens.” Fernando Pessoa

Agora entendi tudo. Depois de tanto tempo, tantos anos, tantas noites em claro buscando a verdade. De repente, tudo se completa. Todas as peças do quebra-cabeça simplesmente se encaixam. E a verdade é: Não se deve buscar a verdade. Não se deve correr atras do incompreendível. Devemos viver. Devemos simplesmente fechar os olhos e sentir o vento tocar nosso rosto. Ouvir o som do silêncio confortando o coração.

Refletir, refletir, refletir. O que ganhamos refletindo e criticando todas as coisas erradas? Simplesmente paramos no tempo tentando consertar o mundo e nos perdemos em uma busca sem fim.
Viver é achar nosso objetivo perdido. É descobrir sem querer a resposta para todas as dúvidas. É voar sem ter asas pois a gravidade é só uma questão de ponto de vista.

Entender, entender, entender. Para que entender se para cada segundo, cada pessoa, cada dia, cada hora, o entendimento é diferente. Essa é a matemática da compreensão. Nada é igual em nenhum momento.

“O que fazer?”, “O que fazer?”, “O que fazer?”. Devemos fazer nossa parte. Viver nossa vida. Seguir nossos caminhos. Focar aonde queremos chegar, e não nos preocupar se as pegadas estão na posição correta.

Feche os olhos e voe o mais alto que puder. Os pensamentos são pesados e podem te fazer cair.
E se voar como nos sonhos, a vida te dará mais paisagens do que pode imaginar. E você não terá medo de abrir os olhos, pois ao contrário dos sonhos, será quente, real e você poderá tocar.

Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento. “ Clarice Lispector

foto:

O dia em que me tornei Tom Ludlaw

Passamos boa parte do tempo imaginando como seremos, e após um simples amanhecer, descobrimos no que nos tornamos.

Lembro como se fosse ontem o dia em que resolvi deixar tudo de lado, todas as lembranças, histórias, músicas, emails, fotos, passado e viver o presente. Não da forma “Carpe Diem” como muitos gostam de pelo menos pensar que vivem. Mas de uma forma clara e objetiva.

Creio que tudo começou no dia 29 de agosto de 1988, o ano em que nasci. Eu não fazia ideia de tanta coisa que viria a acontecer comigo. Mesmo lá com meus 10 ou 15 anos de idade, eu imaginava uma vida totalmente diferente pra mim. Talvez eu nem imaginava nada.

Lembro de praticamente todos os fatos marcantes dos principais anos da minha vida. E lembro de umas das coisas que sempre constavam no meu pensamento: eu observava tudo e todos. Tinha meio que uma neura, ficava observando e memorizando todas as ações, os gestos, as palavras e a forma com que eram ditas.

Meio autista, mas tudo bem. kkk
Hoje vejo que todas essas observações e analises aparentemente idiotas me serviram de muita coisa. Hoje posso dizer que nada na minha vida foi inútil ou sem sentido. Tudo me serviu de aprendizado para essa nova faze da minha vida. A fase Ludlaw!

Esses dias me perguntaram o que significa esse negocio de “ludlaw”. É difícil dizer.
Talvez seja um sobrenome, talvez uma pessoa, talvez um livro.
Creio que Ludlaw seja um estilo de vida, uma fase de esclarecimento. Um momento em que você não tem mais medo de agir, de pensar e de fazer. É quando você sabe realmente de onde você veio e para onde você quer chegar. Além disso, ludlaw é um amontoado de experiencias de vida que até então eram idiotas e descartável, mas que hoje você sabe usar essas informações para fazer com que seu dia valha a pena.

Faz mais ou menos seis meses que decidi me tornar Tom Ludlaw. É claro que isso é só uma brincadeira. Não vou mudar meu nome no RG, nem saio por ai falando que me chamo Ludlaw. kkk. Isso nem soaria bem. Me chamariam de insano.
Enfim, hoje consegui alcançar a tão esperada felicidade. Não por que tinha que acontecer, nem por que era o momento certo, mas por que decidir que seria feliz.

Muitas pessoas passam suas vidas esperando que o dia de amanha traga saúde, felicidade, riquezas.
Mas esquecem que tudo isso só vai acontecer quando você decidir que aconteça e correr atrás daquilo que você julga ser importante.

Nada acontece por acaso. Sua vida não vai mudar como em filmes de milagres.
A única coisa que vai fazer com que as coisas mudem pra você é a sua decisão.
Escolha ser feliz, acredite nos seus ideais e após um simples amanhecer, você se tornará “Tom Ludlaw”

Have a nice day!

Todos nós criamos atalhos.
É dificil encarar as coisas como são.
Se nossa natureza é nos preservar, logo fazer oq é mais facil sujestivamente substitui o que é correto.
esquecemos que o correto é exatamento o que nos preserva. e erramos ao achar que um atalho vai nos ajudar.
Atalhos existem em sua vida. Mesmo sem você os conhecer, sem saber como são, sem saber se ajudam. Eles estão lá.
e de certa forma. logo acabaremos cedendo a eles. jogando a toalha. esquecendo de quem somos. para que somos. e para onde vamos.
Reflita em suas escolhas, reflita no que pode ser feito de melhor em sua vida. mesmo que isso te machuque, te arranque algo que você gosta muito. mesmo que isso seja negar até mesmo sua existência.
Não estamos aqui para fazermos o que achamos certo. Estamos aqui pois alguem um dia nos deu a escolha de fazermos o certo.
Fuja dos atalhos. Faça o que tem que ser feito. e vera que nada é tão ruim que não se possa esquecer.