foto:

O jogo da vida

Escritores são mentirosos. Na maioria das vezes escrevem como gostariam que tivesse sido, não como realmente foi.” Guilherme Vinicius

Querido diário,

Não consigo ser como todo mundo. E não venha com esse papo de que cada pessoa é diferente. Papo furado! Somos todos iguais. Vivemos, Amamos e depois Morremos. Não necessariamente nessa ordem.
Comigo está sendo diferente. Por que não consigo olhar nos olhos dela e me apaixonar? Quanto tempo vai durar esse castigo? Já fui alguém melhor, e você sabe disso.

Houve o tempo em que um olhar mudava tudo. Sinto falta disso. Das coisas verdadeiras, da sinceridade. Temo que a mentira tenha se alastrado e dominado nossas vidas. Estamos cada dia ficando melhores. Sabemos bem como enganar. Fingir um sorriso, despertar interesse. E o mais engraçado é que toda vez que achamos estar usando nossos truques em alguém, estamos sendo vítimas do truque dessa pessoa.
Mentira mutua, a essência dos relacionamentos modernos. Quero ser tolo outra vez!

O mundo mudou, as pessoas mudaram. Um dia você acorda e descobre que se transformou naquilo que tentou evitar todo esse tempo. A frieza é uma doença. Começa com uma pequena dor. Vai crescendo e te destruindo aos poucos. Mortal e silenciosa. Como a noite. Quando você percebe já é tarde. Não que não haja cura. Mas após um tempo infectado, você não vai querer se livrar dela. Será parte de você, e você parte dela. Te acompanhará pelo tempo que for necessário. Até que você descobre, por pura ironia, que está gostando.

Já destruí corações. Não me orgulho, mas confesso que estou ficando bom nisso. Aposto que você também. Com tanta coisa que já lhe escrevi, você vai acabar virando perito! Mas não se engane meu velho amigo, tudo o que você faz volta três vezes pra você. Menos as coisas boas, é claro. Injusto não? Ninguém disse que seria fácil.
Só não se esqueça DELA. Aquela que você já amou. Aquela que te ensinou sobre a verdade, praticando a mentira. Não vou te dizer para lembrar só das coisas boas. Nem para lembrar só das coisas ruins. Uma pode fazer de você um tolo apaixonado. A outra uma fortaleza de gelo. Você deve decidir o que quer pra você. No meu caso, prefiro acreditar na minha versão da história. Olhar pra trás e ver que tudo foi mentira, machuca de mais.

Somos apenas peças de um grande jogo de azar. Rodeados de distrações. Tentando loucamente achar uma saída que nos leve ao paraíso. Paraíso esse que muitas vezes já se mostrou muito simples. Tão simples que chega a ser invisível. Um dia um olhar, outro dia um sorriso, outro dia uma piscada. Sem uma formula certa. Mas está lá, esperando você. Você pode até achar que esta ganhando, mas nada disso é certo. Você pode desistir, mas o mundo te colocará de volta a partida. Não se trata de sorte ou estratégia. E no momento, só uma coisa importa…

É minha vez de jogar os dados!