foto:

Mera coincidência


“Nem tão longe que eu não possa ver. Nem tão perto que eu possa tocar.”Engenheiros do Hawaii

[ Ato I – Nem tão longe ]

Vejo pessoas sorrindo. Caminhando de mãos dadas. Mãos coladas. Gravatas e vestidos combinando.
Fotos de beijo. Fotos de abraços no natal. Fotos de sorrisos no verão.
Pessoas tão diferentes, vivendo coisas tão intensas. Completamente felizes. A ponto de não se importarem com nada, apenas com a pessoa do lado, com o carinho e com o som de “desliga você”. Comemorando a cada dia o triunfo de estarem vivendo um pedacinho de história feliz.

Talvez eu não acredite mais nisso. Talvez eu acredite tanto que o próprio desejo de mergulhar em uma dessas histórias me faça naufragar em um mar de medo e insegurança.
Talvez tudo isso seja apenas uma mera coincidência e as pessoas simplesmente se encontrem e dali em diante tudo muda para sempre. Sem premeditarem, sem correrem atrás do que parece estar tão longe. Longe demais para tocar e chamar de minha outra vez.

A verdade é que a vida acontece enquanto estamos aqui, esperando as coisas darem certo. Você pode encara-la, se esconder por ai, ou esperar por um verão que não volta mais.

É tão difícil assim acreditar que coisas tão surpreendentes podem acontecer outra vez?
Por muito tempo tive medo de encontrar a felicidade. Achei que se encontrasse, eu perderia todas as lembranças doces que tanto amei.

Ainda sinto medo.
E quem não sente?

[ Ato II – Nem tão perto ]

Não me peça pra parar. Eu estou me punindo.
Estou me punindo por que nenhuma alegria dessa vida vai substituir a falta que sinto de alguém que já não está mais aqui.

Sim, é isso. Esse é meu segredo.

É o que desejo todas as manhas.
É o que penso todas as noites antes de dormir.

Fique tranquila, os clichês existem pois essas coisas acontecem o tempo todo.
Hoje é comigo. Talvez amanha seja você.

A única diferença é que uns seguem em frente, outros fingem que estão bem.
Uma pequena parcela, e não menos importante, vive por ai, apenas contando as horas, esperando mais um dia acabar.
Pois sua única e verdadeira alegria é quando fecham os outros, e imaginam beijar os lábios dela só mais uma vez. E sentir sua mão carinhosa tocando seu rosto. Com aqueles olhinhos brilhando correspondendo aos seus completamente apaixonados.

Esse sou eu. Ou pelo menos o que restou de mim. Mas já não me importo. Esse é o meu caminho.
Jamais me arrependerei dessas memórias.

Sei que um dia vamos nos encontrar por ai. Sei também que nada será como antes.
Mas talvez um beijo no rosto mude meu destino. Me faça alguém melhor. Melhor o bastante pra você.

Have a nice day! 😉